quarta-feira, 26 de outubro de 2011

TARTARUGA TOUCHÉ - UMA TRISTE HISTÓRIA

VALE À PENA A LEITURA DESSE TEXTO, QUE PODERÁ MUDAR SUA CONCEPÇÃO A RESPEITO DA RESPONSABILIDADE DE TODOS COM A NATUREZA:

Num belo dia de verão há 70 anos atrás nascia Touché, uma pequena tartaruga verde, que provavelmente nasceu em uma bela ilha tropical e a partir dela Touché rodou pelo mundo percorrendo centenas de milhares de Km no mar seguindo as correntes marinhas, buscando alimento e abrigo e crescendo para um dia cumprir mais uma de suas missões nesse planeta, a de procriar e garantir assim a continuidade de sua espécie que, há mais de 150 milhões de anos povoam os oceanos. E ela conseguiu, entre outras tantas nascidas neste mesmo verão, Touché logrou, graças a sua força e astúcia, escapar de muitas armadilhas da natureza, entre elas a de se tornar alimento de outros animais marinhos. Pois é, Touché foi A SORTUDA entre MIL, que conseguiu atingir a idade adulta e se procriar, então provavelmente há algumas pequenas “Touchés” por ai, lutando para ter a mesma sorte da mãe. Oxalá!!!

Entretanto, apesar de ter se tornado craque em fugir de tubarões e outros predadores marinhos, Touché tão acostumada a comer algas marinhas e águas-vivas, não conseguiu perceber que aquele objeto flutuando na água tão colorido, tão parecido com seu alimento, fosse a sua sentença de morte. Aquilo era um pedaço de corda de nylon (resto de pesca), que obstruiu seu intestino e a fez sentir dores dilacerantes, a perder o apetite.
Aos pouquinhos durante meses Touché seguiu nesse desconforto emagrecendo, perdendo forças... Quando suas energias já estavam chegando ao fim, Touché começou a boiar, seu corpo ficou coberto de algas, de sanguessugas e todos os peixinhos que sempre ajudam as tartarugas a se manterem limpas comendo os bichinhos e plantas que crescem na sua carapaça se afastaram. Touché estava seriamente doente!!!
Uma infecção generalizada se instalará em seu corpo devido ao apodrecimento das fezes que ela não conseguia expelir.

Por acaso Touché foi empurrada, pelo vento e correntes marinhas, para a praia e, ainda viva foi resgatada e após uma semana de tratamento, infelizmente não resistiu, vindo a óbito.

Esse tem sido o destino de milhares e milhares de tartarugas marinhas em todo o mundo. A falta de sensibilidade, de amor, e porque não dizer de instinto de auto-preservação da espécie que se auto-intitula “sapiens”, tem provocado o fim de muitas espécies, imbuídos do desejo de desenvolvimento, sem ao menos ter uma verdadeira noção do isso significa, destrói, modifica, dizima ambientes, polui sem medo e crê que no final com sua frágil habilidade tecnológica, poderá dar um jeito em tudo. Pois sua noção de qualidade de vida é uma estreita, limitada e distorcida visão egocêntrica e urbanóide.

Segundo a Bíblia, Deus após criar, fez por último o homem e o ordenou a cuidar e dar nomes a tudo. Surge então o primeiro biólogo. Bonito né? Podia ser verdade...
Meus agradecimentos a todos que colaboraram no cuidado com a Touché: Os voluntários da Guajiru, o pessoal do Bar do Surfista, aos surfistas Vlamir de Souza Lima e Tayuri que resgataram o animal do mar, e tantos outros surfistas que todos os dias colaboraram na praia, à Carol a melhor enfermeira de tartaruga que conheço. Enfim muito obrigada e parabéns pela iniciativa e disposição que em nome da Touché expressaram sua preocupação com a natureza.


Rita Guajiru Mascarenhas

Publicado no grupo Bairro de Intermares (Facebook)
(25/11/2011, às 20h17min)


0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | JCPenney Coupons
Real Time Web Analytics