quarta-feira, 23 de maio de 2012

PORTO DE CABEDELO COMEÇA A OPERAR COM MALTE E RECEBE PRIMEIRA CARGA DE 11 MIL TONELADAS

O Porto de Cabedelo, pela primeira vez, está operando com malte. O navio Vitória, de bandeira Maltesa, vindo da Argentina, está descarregando uma carga de 11 mil toneladas de malte para atender a demanda de uma grande indústria cervejeira na Paraíba e em outros estados. A operação começou na tarde desta segunda-feira (21) e será concluída na próxima sexta-feira (25). O produto está sendo armazenado em seis silos implantados no porto. Juntos, eles têm capacidade de 36 mil metros cúbicos de armazenagem, garantindo uma movimentação extra no porto de mais 100 toneladas/ano. No período de 15 a 20 dias, mais de 400 caminhões transportarão o malte para a fábrica da AmBev, no distrito industrial de João Pessoa. O produto também seguirá para unidades da empresa no Ceará, Maranhão e Pernambuco.

O vice-governador Rômulo Gouveia visitou o Porto de Cabedelo na tarde desta terça-feira (22) para conferir a operação de descarga das primeiras 11 mil toneladas de malte, um novo produto que passa a integrar as atividades daquele importante equipamento, que já operava com combustíveis, insumos do cimento e trigo.

Rômulo Gouveia destacou a importância da nova atividade no porto, que em 2011 cresceu 30%, e reafirmou que o porto é viável e tem demanda. "Nós temos demanda e o governo está buscando investimentos junto ao Governo Federal. Para se ter uma ideia, 10% da movimentação do porto de Suape, em Pernambuco, são de empresas paraibanas, então isto significa dizer que na hora em que o Porto de Cabedelo for colocado à disposição do empresariado paraibano, reestruturado, eles vão estar aderindo”.

O vice-governador revelou que o governador Ricardo Coutinho e ele, com a ajuda da bancada federal paraibana, têm somado esforços no sentido de reestruturar o Porto de Cabedelo como a retomada da dragagem e de outras ações. O terminal pesqueiro, inaugurado em 2010 pelo Governo Federal e ainda não colocado em funcionamento, é outro pleito do Governo da Paraíba junto ao Ministério dos Portos.

O presidente da Companhia Docas da Paraíba, Wilbur Holmes Jácome, revelou que a nova atividade no porto representa uma vitória. "Você tem mais atracação no porto, mais ICMS, mais postos de trabalho sendo gerados, mais caminhões para transportar as cargas, então você tem uma cadeia econômica que começa a dar sinergia a um novo momento do porto depois de crescer 30% o ano passado”, comemorou. "A chegada do malte é mais uma oportunidade para as pessoas de Cabedelo poderem trabalhar, os operadores portuários oferecerem seus serviços e manter essa cadeia produtiva de recebimento e distribuição de cargas”, concluiu Wilbur.

O vice-presidente da Companhia Docas da Paraíba, Antonio Ricardo de Andrade, destacou que o mais importante é que a operação só foi possível graças ao empenho do Governo do Estado, que se esforçou em atender a demanda, no caso específico, a AmBev. Mas a estrutura vai servir para outras operações. A operação malte e cevada para a indústria AmBev gerou mais 35 empregos no porto. "A Paraíba ganha com o emprego direto, indireto, gerando renda”, destacou. O navio Vitória tem comprimento de 195 metros e 23 metros de boca. Nesta terça-feira, 33% da carga já havia sido retirada do navio.

Nova estrutura – O Porto de Cabedelo vai ganhar uma nova estrutura. A garantia foi dada durante audiência do presidente da Companhia Docas da Paraíba, Wilbur Holmes Jácome, com o Ministro dos Portos, Leônidas Cristino, recentemente em Brasília. O encontro aconteceu um dia depois do gabinete do governador Ricardo Coutinho protocolar, na Secretaria Especial de Portos, o projeto básico de construção do terminal de múltiplo uso, que inclui a reforma do cais.

Segundo Wilbur Jácome, o encaminhamento dos trabalhos chega em um bom momento, já que o porto atinge mais um resultado positivo. Em abril, movimentou 189.207 toneladas, incrementando em cerca de 4,5% os dados atingidos em 2011. A perspectiva para maio é ainda maior, com mais de 200 mil toneladas.

O Ministro Leônidas garantiu total apoio à construção do terminal de múltiplo uso. Outra boa notícia foi com relação ao serviço de dragagem que está paralisado. Por causa de problemas jurídicos entre a Secretaria de Portos e a construtora responsável pela obra, o Governo Federal vai fazer uma nova licitação. Segundo técnicos da SEP, esse processo deve levar pelo menos seis meses para ser retomado.


FONTE: SECOM-PB
(23/05/2012)

0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | JCPenney Coupons
Real Time Web Analytics