quarta-feira, 20 de março de 2013

CRM encontra 14 irregularidades em sala de esterilização em UBSF de Cabedelo: “É sem dúvida a pior que já vimos”



Várias irregularidades foram encontradas na Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) Leonor Viana, localizado na praia do Poço, no município de Cabedelo, durante uma fiscalização de rotina do Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), que resultou na interdição ética de procedimentos médicos da unidade.

De acordo com o diretor do Departamento de Fiscalização do CRM-PB, Eurípedes Mendonça, a vistoria identificou 14 não conformidades na sala de esterilização.

“Esta é, sem sombra de dúvidas, a pior e mais irregular sala de esterilização já fiscalizada pelo CRM. O local é um verdadeiro atentado à saúde de quem utiliza-se de seus serviços. Havia fezes de lagartixa espalhadas pelo ambiente e trilhas de cupins. A sala abriga o material de limpeza. Em função desta situação, interditamos a médica da unidade de demandar qualquer procedimento (curativos por exemplo) que utilizem equipamentos ou insumos esterilizados no interior da unidade”, destacou Eurípedes Mendonça.

O conselheiro do CRM-PB disse ainda que apesar da unidade funcionar em um prédio próprio, ela não foi construída adequadamente para um estabelecimento de saúde. “Verificamos que serviços essenciais como o de enfermagem, curativos e vacinação localizam-se no fundo da unidade, com acesso difícil, pois não há uma calçada e ainda exposto ao sol e à chuva”, ressaltou.

Segundo o diretor de Fiscalização, outro fato grave identificado na unidade foi em relação ao corpo profissional. “Apesar de não haver espaço, estrutura física e equipamentos adequados, estão inclusos no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) profissionais de saúde lotados na unidade tais como um pediatra, um fonoaudiólogo, três fisioterapeutas, um nutricionista, dois psicólogos, três agentes de defesa ambiental e dois avaliadores físicos. Para que não sejam categorizados como servidores-fantasmas, o gestor deve informar onde e o horário que eles trabalham na unidade”, frisou Eurípedes Mendonça.

A unidade ficará interditada até que sejam resolvidas essas pendências. O relatório da interdição será encaminhado ao Ministério Público (comarca local), Secretaria de Saúde do município e Conselho Regional de Odontologia, já que o material utilizado pelo dentista é esterilizado na sala em que foram encontradas as irregularidades.


Assessoria  

Fonte: Mais PB

0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | JCPenney Coupons
Real Time Web Analytics