sábado, 22 de março de 2014

Após declarações contra Dilma, presidente da Companhia Docas-PB entrega cargo.



Wilbur Holmes Jácome - Reprodução/CMJP
O diretor presidente da Companhia Docas da Paraíba, responsável pela administração do Porto de Cabedelo, Wilbur Jácome Sarmento, colocou nesta sexta-feira (21) o cargo que exerce na administração estadual à disposição do governador Ricardo Coutinho. Ele encaminhou carta justificando a decisão, integralmente acatada pelo governador.
 

“Informo que a minha decisão se dá por motivos pessoais e com único objetivo de manter a estabilidade institucional da Companhia e do Governo do Estado”, declarou Wilbur Jácome na carta. O governador autorizou a convocação de Assembleia Geral para destituição de Wilbur do cargo e posterior indicação do novo presidente da Companhia, cujo nome ainda será definido.

Wilbur administrou a Companhia Docas da Paraíba desde o início do governo, atingindo, neste tempo, o recorde histórico de dois milhões de toneladas movimentadas pelo Porto de Cabedelo.

Esta semana, da tribuna da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Anísio Maia (PT), divulgou áudio onde aparece uma voz que seria de Jácome se referindo com palavras de baixo calão à presidenta da República. No áudio, o autor das declarações enfatiza que fará de tudo que tiver ao seu alcance para ajudar a tirar Dilma do poder. 

As declarações foram rechaçadas em nota pelo Governo do Estado, que ressaltou o bom relacionamento institucional entre Ricardo Coutinho (PSB) e a presidenta.  "As palavras de caráter pessoal, afastadas da questão administrativa, e supostamente proferidas pelo diretor presidente da Companhia Docas da Paraíba não representam o pensamento e a posição do governador Ricardo Coutinho, que sempre se conduziu no debate público e político preservando a honra das pessoas e respeitando suas funções institucionais", dizia a nota da Secretaria de Comunicação Institucional.

Wilbur Jácome também distribuiu nota em nome pessoal, onde condena os métodos utilizados para gravação, mas não repara os ataques. 

O caso ganho repercussão em todo o Estado. Na Assembleia Legislativa e na Câmara de João Pessoa, parlamentares, criticaram a postura do então presidente da Companhia Docas, questionando como ele teria condições de participar como representante do Governo em reuniões com autoridades em Brasília.  

A secretária de Políticas Públicas para as Mulheres de João Pessoa, Maria do Socorro Borges Barbosa, enviou nota à imprensa cobrando medidas contra Jácome.  Socorro, considerou que os ataques de Wilbur Jácome à Dilma, seria um “atentado” contra todas as mulheres.


Fonte: Portal Correio


0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | JCPenney Coupons
Real Time Web Analytics