domingo, 6 de julho de 2014

Copa do Mundo no Brasil - Semifinalistas somam dez títulos e 11 vice-campeonatos em Copas.



As quatro melhores seleções da Copa do Mundo de 2014 esbanjam tradição no torneio. Classificados para as semifinais, Alemanha, Argentina, Brasil e Holanda somam dez títulos e 11 vice-campeonatos na mais importante competição de futebol do planeta. Do grupo, apenas os holandeses jamais levantaram a taça: terminaram em segundo em 1974, 1978 e 2010.

Com o fim das quartas de final, neste sábado (5), 60 jogos já foram disputados. Faltam apenas quatro para o fim da Copa: as duas semifinais, a disputa de terceiro lugar e a decisão. As semifinais começam às 17 de terça-feira (8), com Brasil x Alemanha, no Mineirão, em Belo Horizonte. Holanda e Argentina se enfrentam na quarta-feira (9), na Arena Corinthians, em São Paulo, às 17h.

Os resultados apertados das quartas de final diminuíram a média de gols do torneio para 2,65 por jogo. Em 1982, por exemplo, a média foi de 2,8. Em 1994, de 2,71. E, em 1998, de 2,67.  Mas a marca supera as duas últimas Copas: na Alemanha-2006, a média foi de 2,29 gols por jogo. No último Mundial, na África do Sul, em 2010, o número caiu para 2,26, a segunda pior da história dos mundiais.

Além disso, o número total de gols marcados na Copa de 2014 também já superou as duas últimas edições. Embora ainda faltem quatro partidas para o fim do Mundial, os 159 gols feitos até agora superam as marcas da Copa de 2006, que teve 147 gols em 64 jogos, e da Copa da África do Sul, com 141 gols em 64 jogos.

Entre os estádios que mais viram bola na rede, a Arena Fonte Nova, em Salvador, se destaca – apesar do 0 x 0 entre Holanda e Costa Rica neste sábado (05), pelas quartas de final. Nada menos do que 24 gols saíram no gramado baiano. A média é de quatro gols por jogo. O Beira-Rio, em Porto Alegre, presenciou 22 em cinco partidas, mas é média é mais alta, de 4,4.

Os quatro semifinalistas somam 10 títulos e 11 vice-campeonatos em Copas

Brasil – 5 títulos (1958, 1962, 1970, 1994 e 2002) e 2 vices (1950 e 1998)
Alemanha – 3 títulos (1954, 1974 e 1990) e 4 vices (1966, 1982, 1986 e 2002)
Argentina – 2 títulos (1978 e 1986) e 2 vices (1930 e 1990)
Holanda – Nenhum título e 3 vices (1974, 1978 e 2010)

Vitórias apertadas

Ao contrário das oitavas de final, que bateram o recorde histórico de prorrogações na história das Copas (cinco dos oito confrontos), as quartas de final não foram decididas no tempo normal em apenas uma partida: Holanda x Costa Rica, que terminou nos pênaltis com vitória de 4 x 3 dos europeus.

Os outros jogos registraram vitórias apertadas dos classificados. Na sexta-feira (04), a Alemanha derrotou a França por 1 x 0 no Maracanã, no Rio de Janeiro, e o Brasil passou pela Colômbia por 2 x 1 na Arena Castelão, em Fortaleza. Já neste sábado (5), além do triunfo holandês sobre os costa riquenhos, a Argentina superou a Bélgica: 1 x 0, na Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília.

A Costa Rica foi a surpresa do torneio. Antes de vender caro a derrota para a Holanda, eliminou Inglaterra e Itália na fase de grupos, venceu a Grécia por 5 x 3 nos pênaltis - após o empate por 1 x 1 no tempo normal e na prorrogação - e chegou pela primeira vez em sua história às quartas de final de um Mundial.

Outra seleção que deixou sua marca na competição foi a Colômbia, que deu trabalho para a Seleção Brasileira e, nas oitavas de final, derrotara o Uruguai. Foi a melhor campanha da equipe na história.

Os melhores ataques até agora são dos holandeses e colombianos, que marcaram 12 gols. Ambas são as seleções mais equilibradas, pois sofreram 4 gols e têm o melhor saldo (oito). A Colômbia tem o artilheiro do torneio até agora: James Rodriguez, que fez seis gols. A Costa Rica é a melhor defesa, com apenas dois gols sofridos.

Públicos e estádios

A exemplo das fases anteriores da Copa, as quartas de final registraram sucesso de público. A média foi de 63.578 espectadores por partida (total de 254.312). Alemanha x França, no Maracanã, registrou 74.240 torcedores. Argentina x Bélgica, no Mané Garrincha, vem em seguida com 68.551. Logo depois estão Brasil x Colômbia na Arena Castelão (60.342) e Holanda x Costa Rica na Arena Fonte Nova (51.179).

Oito estádios já se despediram do torneio. O fim da primeira fase marcou o adeus da Copa para a Arena das Dunas, a Arena Pantanal, a Arena da Baixada e a Arena da Amazônia. Nas oitavas de final, foi a vez do Beira-Rio e da Arena Pernambuco. Já a Arena Castelão, em Fortaleza, e a Arena Fonte Nova, em Salvador, receberam suas últimas partidas nas quartas de final.

Craques de fora

Dois craques se machucaram nos jogos da quartas de final. O atacante Neymar, da Seleção Brasileira, levou uma joelhada do adversário Zúñiga nos últimos minutos do jogo contra a Colômbia e fraturou a vértebra. Ele não voltará a jogar mais na Copa do Mundo. O também atacante Di María, da Argentina, sofreu uma lesão muscular na coxa direita e, provavelmente, também não entrará mais em campo.


Fonte: Portal da Copa


0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | JCPenney Coupons
Real Time Web Analytics