domingo, 24 de maio de 2015

A cidade de Cabedelo intensifica o combate ao mosquito Aedes Aegypti com investimentos para aquisição de motos-fumacê.



Moto-fumacê - Foto: Divulgação.

Seguindo orientações do Ministério da Saúde, a Secretaria Municipal de Saúde de Cabedelo realizou o Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), onde  o município foi dividido em grupos de 9 mil a 12 mil imóveis com características semelhantes.

Dessa forma, em cada grupo, também chamado estrato, são pesquisados 450 imóveis, a fim mensurar os índices de infestação predial, que recebem as seguintes classificações:

Inferiores a 1%: estão em condições satisfatórias;
De 1% a 3,9%: estão em situação de alerta;
Superior a 4%: há risco de surto de dengue.

De acordo com a gestora da Vigilância em Saúde do município, Elisete Pimentel, os números coletados em Cabedelo apontam para uma infestação inferior a 1%, portanto, conforme a classificação definida pelo Ministério da Saúde, a cidade de Cabedelo se encontra em condições satisfatórias quanto ao risco de surto de dengue na região.

Todavia, recentemente, um vírus que apresenta sintomas semelhantes aos da dengue tem assustado a população cabedelense, trata-se do “Zika Vírus”, responsável por causar um quadro alérgico, em que o paciente pode apresentar sintomas como febre, diarreia, dores e manchas no corpo, além de sinais de conjuntivite. 

Essa virose apareceu inicialmente no estado da Bahia, e segundo pesquisas realizadas na cidade de Camaçari-BA, por meio de uma técnica chamada RT-PCR, sabe-se que este novo vírus não é tão grave quanto a Dengue ou Chikungunya, não leva o paciente à morte. O “Zika Vírus”, assim como a Dengue e a Chikungunya também é transmitido pela picada do mosquito aedes aegypti, aedes albopictus e outros tipos de aedes, e o tratamento acontece da mesma forma.

Em Cabedelo, o Conselho Gestor de Combate à Dengue promove constantes ações em rede e conta com a participação das Vigilâncias em Saúde, Ambiental e Epidemiológica; Atenção Básica em Saúde e Educação em Saúde, além das Secretarias de Saúde, Educação, Planejamento, Meio Ambiente, Comunicação Social e Infraestrutura, contudo, a população sempre cobrou das autoridades competentes a constante passagem do carro fumacê pelas ruas de Cabedelo, a fim de combater os mosquitos voando.

Diante desse fato, a gestora da Vigilância em Saúde do município, Elisete Pimentel, esclareceu que a disponibilização do carro fumacê pela Secretaria de Saúde do Estado só acontece para os municípios que se encontram em situação de alerta, com o índice de infestação predial de 1% a 3,9%, que não é o caso de Cabedelo.

Mesmo assim, com a cidade chegando aos 0,8% de índice de infestação predial, após entendimentos entre as secretarias de Saúde do município e do estado, o carro fumacê chegou a passar por várias ruas de Cabedelo, mas, infelizmente, muitas outras ruas do município não puderam ser contempladas com a passagem do carro fumacê, devido ao difícil acesso, como no caso das vielas, becos e ruas estreitas, que não comportam a passagem de carros.

O problema em questão foi levado ao conhecimento do prefeito Leto Viana, que autorizou a licitação para aquisição de duas motos-fumacê, que são veículos adaptados com bombas para fazerem o trabalho de dedetização em locais inacessíveis ao carro.

Essa boa notícia para o povo de Cabedelo foi confirmada pela gestora da Vigilância em Saúde do município, Elisete Pimentel, que disse que as motos-fumacê estão em vias de serem entregues, aguardando tão somente o fabricante concluir o processo de adaptação das motos com as bombas do fumacê e o embarque das mesmas para Cabedelo.

Apesar do reconhecido e eficiente trabalho de dedetização realizado através dos veículos fumacê, onde os mosquitos em idade adulta (voando) são exterminados, a população não deve relaxar no combate ao aedes aegypti nos seus criadouros, que são as calhas das casas, os pneus, garrafas e recipientes que podem armazenar as águas das chuvas, dentre outros focos que possibilitam a proliferação deste terrível mosquito.

Lembrando que além das ações emergenciais para reduzir a ocorrência de formas graves da Dengue e controlar os índices de infestação predial abaixo de 1%, recomendando pelo Ministério da Saúde, através do fortalecimento do controle viral, a Secretaria de Saúde de Cabedelo (Sescab) vai intensificar as ações educativas, de mobilização social e de comunicação.

Para denunciar casos de focos do mosquito, a Sescab disponibiliza os telefones 3250-3141, da Vigilância em Saúde, e 3250-3265, da Vigilância Ambiental.


Por Fábio Fernandes

0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | JCPenney Coupons
Real Time Web Analytics