quarta-feira, 14 de março de 2012

DIREITO DE RESPOSTA: LETO VIANA

Na última segunda-feira (12), tive a desagradável surpresa de ver publicado no blog do jornalista Luis Torres um comentário deselegante, com informações equivocadas, intitulado “Disputa velada entre Luceninha e Leto já causa mal-estar no PMDB de Cabedelo”, sobre a coletiva de imprensa realizada pelo PMDB municipal no Cabedelo Clube. No mesmo dia, enviei ao jornalista algumas considerações sobre o referido comentário e pedi que elas também fossem publicadas em seu blog. Um direito de resposta, como manda o bom jornalismo, mas, passados dois dias, a publicação do e-mail enviado por mim ainda não foi realizada.

Como o comentário postado por Luis Torres foi divulgado em alguns outros sites e blogs, me senti no dever de enviar-lhes as minhas considerações, como forma de demonstrarmos o nosso respeito ao povo cabedelense, que precisa ter acesso a informações imparciais e verídicas.

Segue abaixo à matéria enviada para o jornalista Luís Tôrres:

Caro Luis Torres,

Não tive o prazer de vê-lo durante a entrevista coletiva de imprensa, na última sexta-feira (09) e, pelos seus comentários, publicados em seu blog, pude confirmar que você realmente não esteve presente. Entretanto, por ter a certeza que primas pelo bom jornalismo e acima de tudo pela verdade, quero esclarecer alguns pontos da matéria que fora veicula em seu blog.

A entrevista coletiva, realizada pelo PMDB de Cabedelo, teve o objetivo de esclarecer os cabedelense, quiçá os paraibanos, sobre os panfletos difamatórios distribuídos massivamente em Cabedelo, ao longo das duas últimas semanas, divulgando que Luceninha não poderia disputar as eleições para Prefeitura da cidade de Cabedelo.

Como você bem publicou, a coletiva contou com a participação de grandes nomes do nosso partido, o PMDB, e todos ratificaram apoio a pré-candidatura de Luceninha, bem como a minha. Ressalto que fui prestigiar e apoiar o meu companheiro de partido e chapa nas próximas eleições. Nesse contexto, a queima de fogos que nós preparamos foi realizada exclusivamente para homenagear Luceninha, o protagonista da coletiva.

Ao contrário do que suas fontes informaram, após o término do evento nos reunimos para comentar sobre o sucesso da coletiva, bastante prestigiada pelos nossos pré-candidatos a vereadores e pela população. É importante frisar que, não existe mais o grupo de Leto e o grupo de Luceninha, somos uma força única por amor à Cabedelo. Lembro que até o ano passado, estávamos em partidos separados; já disputamos eleições em legendas opostas, mas sempre com muito respeito e nenhuma desavença. Esse histórico de harmonia possibilitou a nossa parceria.

Um de nós dois será o candidato a Prefeito e o outro será o candidato à vice, mas estamos juntos em um mesmo projeto que, com as bênçãos de Deus, trará mais desenvolvimento para a nossa cidade e mais qualidade de vida para o nosso povo. Infelizmente, alguns setores da Imprensa e da oposição ao nosso projeto estão tentando implantar notícias falsas, na busca desesperada de prejudicar o nosso grupo, mas tem sido em vão, porque o povo de Cabedelo é inteligente e conhece o nosso trabalho, que vem sendo feito, incansavelmente, há décadas.

Abraços,
Leto

MATÉRIA VEICULADA NO BLOG DO LUÍS TÔRRES:


Disputa velada entre Luceninha e Leto já causa mal-estar no PMDB de Cabedelo

Meus caros, é sabido que Arquimedes já dizia, há séculos e depois de cansativas elucubrações, que é impossível dois corpos ocuparem o mesmo lugar ao mesmo tempo. Na política também assim. Qualquer tentativa neste sentido provoca grande mal-estar

Como aconteceu, por exemplo, na última sexta-feira em Cabedelo, quando o PMDB reuniu a imprensa, com direito a fogos de artifício e tudo mais, para reafirmar a pré-candidatura de Luceninha a prefeito da cidade e afastar a pecha de Ficha-Suja que o destino lhe imprimiu.

Tudo ocorria aparentemente bem, com as presenças dos deputados Wilson Santiago Filho, Hugo Mota, Nilda Gondim, Manoel Junior, do ex-senador Wilson Santiago e do presidente do diretório estadual do partido, Antônio de Souza. Até quando o condutor da coletiva, o jornalista Napoleão de Castro, chamou outro peemedebista, Leto Viana para compor a mesa.

De pronto, um pré-candidato a vereador disparou: “Meu prefeito! Leto prefeito!”. O grito causa profundo constrangimento nos presentes e, claro, estranhamento entre os grupos de Luceninha e Leto Viana, que também alimenta o desejo de ser o candidato do partido.

Na hora da fala de Luceninha, três minutos de fogos. Para Leto Viana, contou um dos presentes, “nem uma bomba-chilena”. Como se estivessem no Campestre de 1998, alguns peemedebistas históricos temeram pelo pior.

Não houve dedo na cara, mas o clima foi tão pesado que, ao final da coletiva, o grupo de Leto Viana adentrou madrugada em reunião em uma casa
de praia próximo ao antigo Samburá, enquanto o grupo de Luceninha foi para um
restaurante na praia do Jacaré comemorar o sucesso com direito a muita bebida e um
Buffet “completo”.

Tô achando que o cardápio de um é a cabeça do outro.

Luís Tôrres

12/03/2012 11h36 - postado por Luís Tôrres

0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | JCPenney Coupons
Real Time Web Analytics